14.3.16

Helmut Newton & The Kennedys

Fonte: Snapchat
Nesta visita a Berlim, incrivelmente deu tempo de também curtir um pouco dos diversos museus que a cidade oferece. Desta vez optei por visitar dois pequenos, nos quais eu estava mais interessada no acervo próprio do museu do que nas exposições itinerantes.O primeiro escolhido foi o Helmut Newton Foundation - Museum für Fotografie . Ele fica ali em Charlottenburg, na cara da saída do Bahnhof Zoo. Uma casa bonita, com ampla escadaria e teto alto mostra nos seus três andares um pouco da vida de Helmut Newton no primeiro andar, no segundo uma exposição de fotos da carreira dele e o terceiro andar fica reservado as exposições itinerantes do Museu de Fotografia.
Helmut Newton foi um foi um fotografo alemão badaladissimo e muito conhecido por seus editorias de moda e fotos de nus artísticos. Sua família e ele fugiram na época da Segunda Guerra Mundial por serem judeus e ele acabou em Hollywood, se tornando essa figura tao conhecida no mundo da moda. Foi muito interessante ver editoriais de modas "Pages from the Glossies" dos anos 60, 70, 80 e 90. Numa época onde não existia Photoshop e o fotografo tinha que realmente ser bom pra encontrar a melhor luz e utilizar as melhores técnicas pra tirar a foto perfeita. Realmente uma arte!Foi também curioso ver o padrão de beleza co corpo feminino mudando durante os anos. Elas sempre foram magras mas, nas fotos fica claro que o corpo humano tem imperfeições, essas que não foram corrigidas por um programa e sim com um jogo de luzes, maquiagem e poses estratégicas. As fotos de nudes chocam um pouco, especialmente recordando a época em que foram feitas. Mas gostei muito pelo bom gosto e elegância que muitas apresentam.  Literalmente um must para os amantes de fotografia,

Entrada do museu 


A outra visita foi dedicada desta vez ao acervo do Museu The Kennedys, que mostra em uma série de fotos, vídeos e objetos pessoais, a trajetória da família presidencial mais famosa do mundo. As fotos da família, objetos de campanha eleitoral, videos da visita de JFK em Berlin na época da Guerra Fria mostrando o desfile e o seu famoso discurso, em que ele diz em alemão ser um berlinense, mostrando todo seu sentimento pela cidade e pelo sentimento de revolta  com a situação da cidade separada pelo muro. O museu conta com um acervo pequeno mas o que também vale a visita é o prédio onde ele é localizado. Ele fica na escola judia para meninas em Berlin Mitte, um prédio que foi reformado e ainda conserva aquele ar de pátio de escola, corredores longos, paredes de tijolos com murais de avisos. Lá também tem dois restaurantes incríveis que vale a visita: o Mogg & Melzer Delicatessen, que tem um delicioso sanduíche de pastrami(typical american!) e o Pauly Saal, que é mais elegante com cozinha alemã. Já visitei os dois e cada um na sua particularidade são bárbaros!

Jackie and me!
"Como é estranho - as vezes eu acho que as palavras que meu marido falou e serão mais lembradas não são em sua lingua materna: Eu sou um berlinense"



28.2.16

Fevereiro é mês de Berlinale!!!


 


Encontrei nas minhas anotações, o ano da minha primeira Berlinale : 2008. O primeiro filme? Tropa de Elite! Que inclusive foi o ganhador do Goldener Bär


Sempre fui fã de Berlim. Assumida. Mas na época do festival de cinema(a Berlinale), a cidade ganha um outro glam, meio hollywoodiano. O burburinho se espalha por diversos pontos, a cidade é invadida por atores, atrizes, produtores de cinema, roteiristas, intelectuais, interessados e interessantes. É uma mistura muito típica de Berlim. 
O cinema europeu se mistura com o cinema mundial e o resultado é incrível: além dos filmes, os fóruns de discussão, o festival de curtas, as exposições... 
Sofri uma fascinação intensa por tudo aquilo e, desde então não consegui mais perder uma edição. 
Conseguir participar sem ser "berlinense" é uma tarefa difícil. Uma missão "quase" impossível. Os ingressos dos filmes que estão concorrendo ao prêmio acabam em questão de minutos. As filas nos postos de venda oficial são quilométricas no primeiro dia de vendas e, a loja on-line também fica congestionada. Mas, depois de ter enfrentado "horas" nas filas externas em temperaturas abaixo de zero e, perdido carrinhos cheios de ingresso na loja on-line, descobri alguns "macetes" e, aperfeiçoei meus métodos pra comprar tickets que dão início a uma interminável maratona de filmes e muita diversão. 
Normalmente na primeira semana de fevereiro sai o "Programm". Isto é: o catálogo com todos os filmes que participam da atual edição do festival. Além dos filmes que estão concorrendo ao prêmio máximo, muitos outros participam formando uma constelação de sucessos e chances. Existe a categoria de novos talentos, de filmes antigos que já ganharam a Berlinale, o festival de curtas...
 São duas semanas de festas de gala com desfiles pelo "red carpet", estreias internacionais na Europa, sessões de oldies, fóruns de discussão, conferências de imprensa, etc.  No site vc tem acesso a tudo: filmes, horários, locais de exposição, trailers, resumo do filme...
Você tem a possibilidade de se registrar e montar um perfil. Com isso, vc pode selecionar seus filmes preferidos e organizar tudo numa agenda e deixar tudo salvo. 
Uma semana antes do início, começam oficialmente as vendas de tickets no posto de venda na Potsdamer Arkade e online. Normalmente numa segunda-feira 10hs da manhã. Quem já tem os filmes salvos na agenda, consegue ver quais filmes estão com venda on-line disponível. Somente quem mora lá e pega a fila tem acesso a comprar quais filmes quer nos diversos pontos de exposição. Pra quem depende da venda online, a oferta de tickets é mais limitada.
Sendo assim, quando sai o programa, escolho os filmes que gostaria de ver, salvo tudo lá na agenda e na segunda feira, senti na frente do meu computador e começo a guerra dos cliques, atrás dos meus tickets. Em épocas boas, consigo comprar até 5 tickets de filmes por dia. Uma literal maratona, pois mal saio de um filme, já começo o outro. 
Esse ano, por motivos pessoais, não consegui assistir tantos filmes quanto gostaria. A oferta de filmes nos dias que eu estaria na cidade não me agradaram tanto e muitos deles não consegui comprar online. Mas, mesmo conhecendo bem a cidade, sempre tem alguma coisa muito legal por fazer! Nunca consigo visitar tudo o q tenho vontade. Sempre tem um cantinho, um lugar, um café novo a conhecer...

Como nada na minha vida pode ser sem emoção, a viagem já começou com mil emoções: trabalhei pela manhã, peguei trânsito no caminho de volta, perdi o ônibus que me levaria à estação, o taxi que eu tive que pegar foi "obrigado a parar" por todos os faróis vermelhos que passamos(pq obviamente TODOS os semáforos  que estavam no caminho se encheram de emoção a nossa passagem e enrubesceram!😡), cheguei correndo na estação, pulando dentro do trem esbaforida e com cara de louca. Aí o trem ficou 45 minutos parado em uma cidade no meio do nada por motivos técnicos e só foi atrasando todos os outros compromissos marcados na Hauptstadt... 


Só q assim, atrasada porém maravilhosaaaaaaa!  Henrique Rocha e suas mãos divinas fizeram maravilhas nas minhas madeixas. Sem contar, que além das divinas mãos e talento pra deixar seus cabelos luxuosos, o danado tem um astral divino! Risadas garantidas!
Saí de lá mais uma vez esbaforida, em direção ao Friedrichstadt Palast pra encontrar com minha amiga Eve(autora do livro Ausgesetzt e mais nova jetsetterin!)Colocamos as novidades em dia aos goles de Sekt e logo nos encaminhamos pra sala, pra assistir a ultima noite de gala da Berlinale com o filme "Miles Ahead".  Os atores e diretores do  filme estavam lá e assistiram conosco ao filme que contou a história de Miles Davis , uma legenda do jazz. 



Após o "movimento" todo q uinta, decidi encarar a sexta de uma forma tranquila. Cancelei a aula de yoga que eu participaria e levantei devagar. A ordem do dia era fazer tudo beeeeeeem devagar. Muito devagar. 
Após o café da manhã, fui em direção ao antigo lado ocidental da cidade, destino à Helmut Newton Stiftung no Museu de Fotografia. Mas isso é tema pro próximo Post! Após essa visitinha, fui pra Potsdamer Arkade, em busca de tickets que não consegui comprar online. Mas antes... Pausa pro café! 

Essa é a cara de alegria por ter conseguido tickets pro filme brasileiro "Antes o tempo não acabava" do Sérgio Andrade e Fábio Baldo.

Na sexta, a maratona de filmes começou com "A Quiet Passion". Uma biografia da poetisa americana Emily Dickinson. Seguiu com o documentário do Michael Moore "Where to invade next?", sem dúvidas um dos meus preferidos! E encerrei com o filme sueco " A serious game". Foi um dia intenso, de muitas impressões. Nada como um abraço do Schatz e cama!!

Sábado aproveitamos pra tomar café da manhã num dos nossos lugares preferidos em Mitte: Barcomi's Deli!! De lá fomos visitar o Museu "The Kennedys"  e logo em seguida, partiu Berlinale again!!
Desta vez, fomos pra uma sala de cinema de verdade. O Cubix, na Alexanderplatz foi a sala onde assistimos ao filme "Antes o tempo não acabava" e a discussão junto com os diretores e elenco do filme. 
De lá, eu queria ter visto a instalação do Ai Weiwei na Konzerthaus mas, ela já tinha sido retirada a alguns dias. Ele cobriu as colunas da Konzerthaus Berlin com coletes salva vidas utilizados pelos refugiados que chegaram a ilha de Lesbos na Grécia. Sem sombra de duvidas uma obra provocante em homenagem a todos os refugiados que morreram afogados tentando cruzar o Mediterrâneo. 
Sem exposição, caminhamos pelas ruas de Berlin, em direção novamente O Friedrichstadt Palast  pra assistir nosso último filme do sábado: Saint Amour. Um filme francês leve, suave, levemente comigo e que te induz a beber um copo de um bom vinho tinto francês no final. 

Encerramos nossa noite, num restaurante francês (seria influência do filme?) maravilhoso:  Le pétit Felix. O "pequeno" irmão do conhecido Club Felix não nos decepcionou. Atendimento nota 10, comida excelente, ambiente calmo e elegante. Com certeza um highlight! 


O domingo foi nosso último dia e encaramos uma real maratona: 3 filmes na sequência! Genius, que conta a história de Max Perkins, editor que descobriu talentos como Scott Fitzgerald e Thomas Wolff. Contou com um elenco de estrelas é uma história belíssima. Meu preferido, sem dúvidas.
O filme francês L'Avenir, que ganhou o urso de prata por melhor direção. Uma história continua, contando a vida é os rumos uma mulher de meia idade que foi deixada pelo marido. Impressionante pela força de espírito e a dignidade da atriz principal que seguiu a vida adiante. Sem dramas, com a cabeça erguida.
E o último, "The Commune". Um filme dinamarquês, que ganhou o urso de prata por melhor atriz. Uma história que se passou nos anos 70, época de liberdades, buscas e revoluções internas. Valeu a estatueta. 



12.2.16

Viena feelings....

Hey, hey, hey!! Frohes neues von Wien!!
O Schatz normalmente é meio cricri de viajar nessa época do ano, por motivos diversos e, que não vem ao caso no momento. O caso é que aceitamos juntar nossas taças de champagne com uma turma animadíssimaaaaaaaaa!!! Iana queniana, manos Leo e Nelson, Schatz e eu: a festa foi mais que garantida!!


Essa história de Air BnB é muito prática e bacana. Eles alugaram um apartamento bem bacana, bem equipado e próximo ao centro. Isso nos possibilitou organizar um super jantar delícia com tudo que temos direito no Ano Novo: uvas, roma, lentilhas, uma carne maravilhosa!Acompanhado champagne, vinho e muita diversão! Levamos nosso "kit jogatina" e, ensinamos essa turma a jogar um joguinho alemão. Foi MUITO divertido. E, nem fomos ver a queima de fogos e a festa organizada pela cidade.


Viena nos recepcionou com um frio muito digno de ficar em casa.
Até poderia ser, SE ainda não fosse época de mercados de Natal e vinho quente(Glühwein!!). Aí meu amigo, não tem desculpa que me faca ficar em casa. 
Andreas e eu já conhecíamos a cidade mas mesmo assim, as lembranças eram meio fracas na minha memória. Entao aproveitamos pra dar umas voltinhas e refrescar minha memória.
Um dos passeios que não pode faltar na lista de ninguém é o castelo de Schönbrunn. Um dos maravilhosos castelos da rainha Sissi. Vale a visita na primavera/verão com direito a passeio pelos jardins e ir comer uma Sacher Torte num cafe quase em frente, onde aos sábados tem concertos de Mozart no jardim.

Outro passeio que ninguém pode deixar de fazer é ir ao Prater. Uma das rodas gigantes mais antigas e ainda em funcionamento na Europa. De dia, de noite... Qualquer hora é hora. 






O Stephansdom, a catedral de Viena, é um espetáculo à parte. Desta vez passamos bem rapidinho e à noite. De longe dá pra admirar seu maravilhoso teto.

O dia seguinte ficou reservado só pra um passeio muito rapidinho pela Votivkirche...



... pela Rathaus(prefeitura), onde estavam desmontando os arranjos da festa de Ano Novo...
... e pelo Parlamento.
Viena é uma das cidades européias que eu mais gostei de conhecer(alias, gostei de quase todas!). Vale a pena se programar pra ficar 3-4 dias. Dá pra conhecer a cidade sem muita pressa. Quem quiser conhecer a cidade à fundo, com visitas a operas, bailes de gala e apresentações da escola de cavalaria, programe pelo menos 5 dias. Outra cidade relativamente perto, que vale muito ir é Budapeste, onde Sissi gostava muito de passar uns tempos também!!













10.2.16

Bolo de mandioca

Sabe aquele bolinho "sticky", grudentinho, cheio de coco delicia?? Então, é esse!! É o melhor de tudo: especial pra mim e os amigos alérgicos/intolerantes! 100% vegano, sem leite, sem glúten e com sabor! 

Anota aí 



450 g de mandioca ralada crua
80g de coco fresco ralado
50g de açúcar (usei o de flor de côco)
150ml de leite de coco



Agora vem a dificuldade: mistura tudo e coloque pra assar em forma untada(ou de silicone) pra assar 30 minutos no forno baixo. 


Fica simplesmente divino! E com café então....